Na pandemia, mais moradores participam de assembleias de condomínios

Na pandemia, mais moradores participam de assembleias de condomínios

Na Pandemia Mais Moradores Participam De Assembleias De Condominios - Cysne Administradora de bens e Condomínios

07 ago Na pandemia, mais moradores participam de assembleias de condomínios

Ao mesmo tempo em que trouxe uma série de problemas, a pandemia teve um reflexo considerado positivo por administradores de condomínios: a participação mais intensa de moradores nas assembleias.

De acordo com Marcele Miranda, gerente do Grupo Confiança, a alta registrada foi de 40%.

“Há algum tempo, adaptamos a plataforma da administradora para fazer a assembleia de forma virtual. No início, houve alguma resistência, mas parece que o pessoal já se adaptou bem. Tanto que houve um aumento expressivo na participação”.

Marcele destacou que a possibilidade de participar das reuniões sem deixar o conforto de casa é um dos principais motivos para o crescimento. “Mas também há outros fatores. Os condôminos parecem se sentir mais à vontade para abordar certos temas sobre os quais dificilmente falariam numa assembleia presencial por receio de um confronto com outro morador”.

Esse ponto é ressaltado também pelo presidente do Sindicato Patronal de Condomínios e Empresas de Administração de Condomínios do Espírito Santo (Sipces), Gedaias Freire da Costa. Para ele, independente se a assembleia ocorre de maneira presencial ou virtual, algumas regras de boa convivência devem ser seguidas.

“Em qualquer reunião e nas assembleias não é diferente, não pode haver falta de respeito. Ofensas contra o síndico ou outros moradores não são toleradas. Todo problema deve ser discutido, mas de forma educada, polida”.

Problemas, aliás, também estão entre os motivos para o aumento da participação em assembleias.

A síndica profissional Juliana Monteiro destacou que, nos condomínios em que administra, houve aumento de cerca de 5% na participação em reuniões de condomínio. Mas as reclamações durante o período de isolamento social aumentaram muito.

“Há queixas sobre moradores que não fazem uso de máscara e descumprem medidas de segurança, mas também sobre barulhos como criança gritando, gente pulando corda dentro do apartamento, fazendo obra. Tem reclamações até por causa de lives. O morador se empolga no fim de semana e coloca a TV num volume altíssimo, o que incomoda os vizinhos”, revela Juliana.

Reuniões

  • Com a pandemia e a necessidade de distanciamento, diversos condomínios passaram a realizar assembleias virtuais.
  • A possibilidade é permitida por lei até 30 de outubro, segundo o Sindicato Patronal de Condomínios e Empresas de Administração de Condomínios do Espírito Santo (Sipces). Embora estejam sendo analisados pelo Congresso, projetos para tornar a autorização permanente ainda não foram votados.
  • as reuniões estão sendo realizadas por meio de sites e aplicativos populares de videoconferência e, em outros casos, por plataformas próprias das administradoras.

Quem pode aderir

  • Qualquer condomínio pode aderir ao modelo.
  • Antes de decidir realizar as reuniões virtualmente, cada condomínio precisa verificar, dentre outras coisas, se não há impedimento do formato em suas regras internas e se é acessível a todos os condôminos.

Discussões

  • Todos os temas podem ser tratados em assembleias virtuais, desde que as ferramentas tecnológicas utilizadas permitam o debate e não apenas a contabilização de voto.
  • Apesar disso, a orientação do Sindicato Patronal de Condomínios é para que discussões muito longas sejam evitadas.

Votações

  • A votação para escolha de um novo síndico, por exemplo, foi postergada em muitos condomínios. Geralmente, quem estava no comando até março, teve o mandato prorrogado.
  • Temas urgentes como punição em caso de descumprimento de normas, como uso de máscaras, estão sendo votados na medida do possível.

Participação

  • Grande parte dos condomínios tem registrado aumento na participação dos moradores em assembleias virtuais.

Comodidade

  • Um dos motivos para o aumento de participação nas reuniões de condomínio é o fato de que não é necessário sair de casa, nem se indispor pessoalmente com vizinhos durante as discussões.

Reclamações

  • Outro motivo para o aumento na participação nas assembleias foi o crescimento do número de reclamações durante o período de isolamento social. Entre as queixas:
  1. Obras com longo prazo;
  2. Moradores que não utilizam máscaras, nem cumprem outras normas de prevenção à Covid-19;
  3. Barulhos decorrentes da realização de exercícios, brincadeiras no apartamento ou som alto.

Fonte: Sipces e pesquisa AT.