Como manter uma boa convivência com os pets no condomínio

Como manter uma boa convivência com os pets no condomínio

09 ago Como manter uma boa convivência com os pets no condomínio

Quando se trata de pets no condomínio quem vive num sabe que o assunto é constantemente abordado por muitas pessoas e, às vezes, podemos ficar sem resposta ou, sem saber o que fazer em determinadas situações.

Quem mora neste conjunto residencial conhece as dificuldades que precisam ser contornadas para que seja possível se desfrutar do carinho e do companheirismo de um animal de estimação.

O fundamental é que o condomínio estabeleça regras claras para que todos os moradores possam seguir, deixando-as estabelecidas no regulamento interno, do que é permitido ou não em suas áreas comuns.

Nenhum condomínio pode proibir a permanência de animais no interior dos apartamentos, pois estaria violando o direito de propriedade, o que é permitido pela constituição federal, contudo, as regras de espaços comuns podem ser votadas em assembleia.

No caso dos condomínios que possuem um espaço de lazer é muito importante que seja separada uma área para onde os moradores possam levar seus animais de estimação. Isso ajuda a evitar discussões sobre onde o cachorro fez sujeiras. Não precisa ser uma área extensa, mas o suficiente para a recreação dos pets.

Principais reclamações e problemas sobre pets no condomínio

Uma das maiores fontes de problemas e de discussões nos edifícios diz respeito a posse de animais de estimação.

Os problemas mais comuns e recorrentes em condomínio envolvendo os bichinhos são referentes a barulho, utilização das áreas comuns e segurança, quando os pets são de grande porte ou raças consideradas agressivas.

As principais queixas à presença de animais de estimação se referem a mau cheiro, medo ou fobia a animais e aos barulhos, por isso é fundamental para evitar brigas estabelecer regras de convivência, que garantam o conforto e a segurança, tanto dos condôminos, quanto dos pets no condomínio.

Como melhorar a convivência

Há inúmeras formas de melhorar o relacionamento entre aqueles que têm animais com os que não tem.

A convivência harmoniosa nos condomínios é conquistada dia a dia. Muitos são os fatores que influenciam nessa questão e uma delas é a criação de animais de estimação. Enquanto dentro do seu apartamento o condômino rege à sua maneira, mas nas áreas comuns a convivência é determinada por regras regulamentadas pelas convenções.

É importante conseguir organizar a comunicação com a coletividade da melhor forma possível. Uma boa maneira de colocar isso em prática é utilizando um sistema para controle de pets, onde o próprio morador pode cadastrar os seus pets e mantêm um canal de comunicação diretamente com o síndico e atualizações da administração.

Cada condomínio funciona de acordo com as suas próprias regras, mas o que vale no final é o bom senso. Passeios em áreas de convivência, animais sem focinheira, dejetos em locais inadequados, como elevadores e playground são exemplos de problemas que podem gerar conflitos. O mesmo vale para o barulho feito por cães em horários inadequados ou que costumam ficar em casa sozinhos durante todo o dia.

Para evitar atritos com as pessoas e manter o ambiente limpo, uma dica é ter sempre à mão um saquinho plástico para recolher as necessidades que o seu pet fizer quando for passear com ele numa área comum. Você pode não ficar incomodado com o cheiro ou com a sujeira, mas as outras pessoas ficam e essa prática simples funciona, tanto dentro quanto fora do condomínio.

E no seu condomínio, como é administrada esta questão dos pets? Deixe seu comentário e divida suas experiências com a gente!

Fonte: Sami blog



Feito só para você!
Geralmente, a administração de condomínios não é tão simples: atividades operacionais, gerenciamento…