Quais serviços são necessários para um condomínio sobreviver?

Quais serviços são necessários para um condomínio sobreviver?

condominio

30 jun Quais serviços são necessários para um condomínio sobreviver?

Existem condomínios de vários portes, diferentes finalidades e cada um tem características particulares. Porém, quando falamos em gestão, existem as demandas que são comuns a todos. A administração de um condomínio é uma atividade complexa e que exige experiência e conhecimento técnico especializado.

Síndico

Como já explicamos nesse artigo (clique para acessar), o síndico é o representante legal, responde civil e penalmente pelo condomínio. Ele deve ser pró-ativo e estar sempre atento às demandas do dia a dia. Ele é é um mediador entre o condomínio e prestadores de serviço, como a administradora, por exemplo. Sabemos que, em muitos condomínios, há uma dificuldade de se conseguir candidatos à sindicância por motivos óbvios: a função exige responsabilidade e dedicação. Por isso, é importante esclarecer que a pessoa que estiver na função não deve absorver uma carga que deve ser compartilhada com a administradora e, por que não, com os outros condôminos, já que um condomínio precisa da colaboração de todos para ser bem cuidado.

Por isso, recomendamos que:

  • Todos os condôminos entendam da real função do síndico e contem com uma administradora;

  • Que haja uma conscientização de que exercer a função de síndico é uma responsabilidade dos proprietários que querem zelar pelo seu patrimônio, o que é um dever de todos. Sabemos que a missão do síndico pode não ser fácil em algumas situações, mas a administradora oferece todo o suporte necessário. Algumas pessoas ainda enxergam a sindicância como meio de vida, ou seja, uma fonte de renda principal. Mas, a não ser que a pessoa seja um síndico profissional, a função do síndico deve ser tratada como um trabalho voluntário e a motivação deve ser a vontade de ajudar e contribuir para o bem comum. Recomendamos que todos sejam síndicos pelo menos uma vez para entender melhor como é a atividade na prática.

  • Mas, caso o seu condomínio prefira o modelo de remuneração, recomendamos a leitura de um artigo que escrevemos totalmente dedicado ao tema (clique aqui para acessá-lo)

Contabilidade

É impossível que um condomínio sobreviva sem o serviço de contabilidade, seja por meio de uma empresa ou pela administradora. Nem todo condomínio possui um CNPJ, mas todo condomínio é pessoa jurídica só por ser um edifício em si, desde a construção.  Isso significa que há demandas fiscais e jurídicas que são recorrentes e apenas uma mão de obra especializada é capaz de executá-las.

Conservadora

Limpeza é essencial em qualquer lugar, concorda? Em condomínios, não é diferente. E é fundamental que o serviço seja executado por uma empresa especializada e idônea. Caso o contrário, o condomínio corre sérios riscos devido à responsabilidade solidária. (Falamos sobre isso aqui, clique para ler!)

 

O que não recomendamos?

Garantidora

Garantidora é uma empresa que “compra” a dívida dos inadimplentes e cobre o valor para condomínio, garantindo, em tese, os valores de condomínio não pagos. Claro, é um serviço que tem ônus, inclusive para o condômino devedor, que vai pagar mais juros, pois a garantidora ganha proporcionalmente ao que ela recupera. Mas é importante lembrar que: problemas de inadimplência graves acontecem, muitas vezes, pela falta de gestão e ações preventivas de cobrança. Quando o condomínio conta com uma administradora competente, ela mesmo faz esse trabalho, inclusive com assistência jurídica, quando necessário.

Gestão sem Administradora

Alguns condomínios dispensam a administradora e deixam a gestão de todas as demandas centralizadas no síndico. Falamos, com tranquilidade, que isso é uma aventura muito arriscada. Por mais que o síndico seja pró-ativo e tenha boa vontade, nada substitui o conhecimento e segurança de uma empresa especializada que, inclusive, é fundamental para orientar o próprio síndico. Existe uma legislação muito específica e que muda constantemente. A administradora é que deve acompanhar atualizações e providências que o condomínio deve tomar. Um bom exemplo é a declaração da DIRF, que foi afetada por uma alteração recente da lei referente ao pagamento de imposto federal (DARF).

Resumindo: conte com uma administradora

A administradora orienta o síndico e organiza todas as demandas do condomínio. Busque boas empresas e não arrisque!

FONTE: Pilar Gestão de Condomínio

Nenhum comentário

Postar um comentário