11 atitudes do bom vizinho

11 atitudes do bom vizinho

atitudes do bom vizinho

23 mar 11 atitudes do bom vizinho

Não há nada mais desagradável do que viver em um condomínio e não se dar bem com algum vizinho. Ora porque é preciso encontrá-lo em uma espera de elevador ou mesmo em seu interior, ora porque cruza-se com ele na assembleia ou mesmo em uma festa no salão. São momentos de mal-estar e quanto mais pudermos evitar, melhor. Mas, como ser um bom vizinho?

Se não uma obrigação, ser um bom vizinho ajuda sempre as relações, propiciando inúmeras vantagens para ambos os lados e evitando constrangimentos, discussões e perda de tempo.

Atualmente, devido à falta de espaço nas grandes cidades para construções de novos empreendimentos, as construtoras fazem plantas de edifícios com maior número de andares. E, também, com maior número de apartamentos por andar. Razões essas que aumentam ainda mais a necessidade da política da boa vizinhança.

Com algumas dicas de como ser um bom vizinho, será muito mais fácil e agradável sua convivência com os demais moradores do condomínio.

11 atitudes do bom vizinho

  1. Quando trata-se de edifícios menores, é mais fácil conhecer a vizinhança, até mesmo pelos nomes. Mas, quando falamos de grandes condomínios, fica quase impossível essa memória. Mas não há nada que impeça, sempre que possível, um cumprimento acompanhado de um sorriso. Se algum novo vizinho estiver chegando, pode-se oferecer alguma ajuda com a mudança ou uma xícara de café. A simpatia sempre ajuda nestas situações;
  2. Seu deslocamento, tanto no interior de seu apartamento, quanto pelas áreas comuns do condomínio, sempre deve ser feito prestando atenção. Evite andar de sapatos em pisos de madeira. Nem sempre os horários de seus vizinhos são iguais aos seus;
  3. Nos corredores e hall de elevadores, fale baixo e evite risadas altas. Nunca sabemos o que os vizinhos estão fazendo;
  4. Nas garagens, todo cuidado é pouco. Preste atenção às suas crianças. Elas não devem correr por entre os carros. E lembre-se que o filho de um vizinho pode escapar e passar justamente atrás do seu carro;
  5. O barulho merece um capítulo à parte. São inúmeras as chances de um morador incomodar os outros. Muitas vezes, até sem perceber. Por exemplo, uma comemoração de gol do time favorito na janela. Nem todo mundo está a fim de saber o resultado do jogo;
  6. Aparelhos de ginástica ou de limpeza devem estar regulados e ser utilizados em horários que não atrapalhem ninguém. O som da TV ou do aparelho de som, por mais que você goste, deve ser modulado, e em horários específicos também;
  7. Se tratar-se de alguma festa, informe seus vizinhos da data e horário de começo e fim. Convide-os, se achar conveniente, e preste atenção ao comportamento de seus convidados. Cuidado na hora da limpeza para não arrastar móveis, ainda mais se o horário escolhido for o noturno;
  8. Criança correndo no andar de cima também é problema. Durante o dia ainda pode ser, mas à noite, é necessário silêncio, para o descanso dos vizinhos;
  9. Ultimamente, os condomínios têm permitido a presença de animais nos apartamentos. Porém, essa permissão, na maioria vezes, restringe-se aos animais de pequeno porte. Então, é bom respeitar. Pelas áreas comuns abertas, procure andar sempre com um saquinho para sua sujeira e com uma coleira se possível. Pelas áreas fechadas, ande com ele no colo. Nos elevadores, além de carregar o pet no colo, se entrar alguém, pergunte se a presença do animal incomoda;
  10. Cuidado com seu lixo. Acondicione-o em sacos resistentes e bem fechados. Respeite a separação de lixo orgânico e reciclável. Ao descer com ele no elevador, se entrar alguém, informe que você está com lixo. Descarte-o em lixeira comunitária própria com cuidado para que não estourem;
  11. Ofereça sempre sua ajuda por meio de gestos singelos, como segurar uma porta ou ajudar com uma sacola mais pesada.

    Fonte: Universo Condomínio

Nenhum comentário

Postar um comentário